sábado, 31 de dezembro de 2011

ÚLTIMA REFLEXÃO

Cada um quer algo novo para o próximo ano. Digo algo no lugar de felicidade. Felicidade que não se viveu no ano findo. Não se viveu por forças externas, superiores à vontade individual, ou internas, na maioria das vezes inconscientes. De qualquer forma, apenas um milagre (que ocorria amiúde há dois mil anos)  poderá afastar os obstáculos, geralmente impostos pelos outros. Ainda que tal ocorra, o desejoso de felicidade não conseguirá afastar os próprios obstáculos. Essa dificuldade acaba adiando o desejado até o final do ano em curso e, ao cabo deste, uma aposta para o ano vindouro. Krishnamurti era muito objetivo nessa questão, ninguém poder alcançar algo, incluindo a felicidade, com um estado de espírito (desculpam-me esse clichê) que é a negação do ser feliz. 
Essas reflexões são inevitáveis e... aparentemente inoportunas. Mas não seria feliz neste momento caso não as fizesse. 

Um comentário:

Janice Trombini disse...

Um feliz ano novo cheio de coisas boas a ti e Erilaine...um abraço!!