sexta-feira, 1 de abril de 2011

FIM DO BLOG

Depois da postagem abaixo, desço para a rua. Apenas para dar uma volta na quadra (a mesma da Matriz), na expectativa de ver as estrelas mais luminosas. Antes de quinze minutos, retorno para casa. Ao abrir a geladeira, vejo o vidro com pera em calda. O doce é uma delícia. 
Ainda meio obnubilado por pensamentos depreciativos, venho ao computador outra vez para anunciar uma amarga decisão: o fim deste blog. 

7 comentários:

Anônimo disse...

Uma pena, nunca mais veremos um léxico tão peculiar.

Janice Trombini disse...

Gostaria de provar o doce de pera...hehe...e como assim, fim de blog?

Nivia Andres disse...

Ah! Não acredito, Froilam! Vamos perder o nosso mais inteligente, culto e talentoso blogueiro? Aquele com quem sempre aprendemos e não cansamos de louvar a perspicácia e a criatividade?

Por favor, reconsidere a decisão!

Abraço,

Nivia

Fran Camargo disse...

Muito bom seu post...hehe!
pena você não avisar que é 1° de abril!!
Abraço!

A. Reiffer disse...

Fim do blog? Espero, Froilam, que não o faças.

arlete disse...

Bom dia, Froilam!
Inicialmente, imaginei tratar-se de um redundante 1º de abril o que anuncias acima. Não dei grande importância. Achei ser mais uma estratégia criativa tua para pegares os incautos que ainda se lembram dessa hilária brincadeira.
Hoje, num domingo, em que a luz reflete por todos os lados e influencia, também, as ideias, retornei ao teu blog para constatar a inverdade. Tristeza!
Amigo, um blog como o teu, que sempre induz o leitor a reflexões sobre os mais variados assuntos e pela concisão e clareza como os aborda, não pode desaparecer. Entendo o teu desencanto. Muitas vezes, fui tomada pelo mesmo impulso, em especial, quando algum comentarista mais afoito fez comentários deselegantes ou acidamente críticos. Ou o pior, sob as postagens, não tecia comentário algum. (É, nessas circunstâncias, que me deixo tomar pelo desânimo e me questiono se valerá a pena perder preciosos instantes da vida para escrever ou postar algo sem saber se a alguém interessa.)
Li e reli os teus motivos. Ao me deparar com “o fim deste blog”, fui acometida de uma tristeza e um arrependimento angustiantes: por que, se gostei tanto desta ou daquela postagem feita por Froilam, não fiz um comentário evidenciando-lhe isso?
Homem douto que és, não ignoro que de pouca ou nenhuma valia servirá o meu pedido: ”não deixa, por favor, desaparecer o teu “Contra.”. As letras e os letrados sentirão a falta dele e, por extensão, a ausência tua.
Agora, se era um l 1º de abril, pegaste-me de jeito.
Um forte e incentivador abraço.
Arlete Gudolle Lopes, uma visitante assídua e, lamentavelmente, omissa.

Zélia Viana Paim disse...

É uma pena, sempre gostei de ler teus textos, mesmo aqueles "à beira do abismo".
Um forte abraço.
Zélia