quarta-feira, 7 de abril de 2010

RAPIDINHAS

O título acima é decorrente de uma exigência do redator-chefe do Expresso Ilustrado, que acha minha coluna muito extensa (ainda que em tamanho 14, com o mesmo espaço destinado aos meus colegas de página). Ele não esconde a admiração pelo texto sintético, objetivo, que caracteriza o jornal.
.
Lendo uma postagem do Márcio Brasil, preciso fazer a seguinte observação: Vinícius de Moraes, Carlos Drummond de Andrade, Cruz e Souza, entre outros grandes poetas também foram iniciantes um dia, poetas com "p" minúsculo. A evolução que cada um deles teve poeticamente, ao longo de uma vida e numa sucessão de obras publicadas, conferiu-lhes a grandeza, o traço da genialidade.
.
No passado, quando eu pensava que sabia gramática, gostava de criticar os erros dos outros. Felizmente, o conhecimento me propiciou uma transformação de caráter ou de personalidade (uma vez que não poderia ser de temperamento). Hoje não digo que sei, embora sabendo muito mais. Ao invés de tripudiar sobre os erros alheios, procuro corrigi-los com a humildade que penso ter aprendido com os sábios.
.
Sem qualquer outra intenção que não seja a de auxiliar, recomendo aos meus colegas blogueiros que tomem mais cuidado com a escrita. O meio eletrônico não nos isenta do padrão culto da língua. Alguns escreventes cometem tantos erros que chegam a comprometer o conteúdo de suas postagens.
.

Um comentário:

Vanderlei disse...

Grande sacada Froilan!!!
Na oitava série, aprendemos que a exceção da palavra exceção era ser escrita sem "s".
Professora: Arlete, nunca esqueci!!!